Feeds:
Posts
Comentários

1 – (PUC-MG) A água oxigenada, usada para desinfecção e para clarear cabelos, decompõe-se segundo a equação:


Considerando a decomposição completa de 100 mL de , o volume de gás oxigênio produzido, nas CNTP, é:

a) 1,12 L

b) 2,24 L

c) 11,2 L

d) 22,4 L

e) 112,0 L

2(UFF) Um meteorito de 4,5 bilhões de anos, que caiu numa cidadezinha do Texas, trouxe uma surpresa para os cientistas: “vestígio de água” (transcrito de “O Globo” 30/08/99).

Na investigação sobre a vida em outros planetas, procura-se verificar a existência ou não de água, pois, esta é elemento essencial à vida, nos moldes até agora conhecidos.

Considere a reação completa de 1,5 m3 de H2(g) com O2 à temperatura de 27 oC e pressão de 8,2 atm. Nestas condições, a massa de água produzida e o volume de O2 consumido são, respectivamente:

a) 1,80 kg e 15,00 m3

b) 4,50 kg e 3,00 m3

c) 9,00 kg e 0,75 m3

d) 18,00 kg e 1,50 m3

e) 45,00 kg e 30,00 m3


3 – (UFRN) Certa massa de gás ideal pode ser representada pela relação PV / T = constante, sendo P(pressão), V(volume), T(temperatura).

Pode-se afirmar que a pressão do gás aumenta quando

a) V aumenta e T diminui.

b) V não varia e T diminui.

c) T não varia e V aumenta.

d) T aumenta e V não varia.

4 – (PUC-MG) Sob condições apropriadas, gás acetileno (C2H2) e ácido clorídrico reagem para formar cloreto de vinila, C2H3Cl . Essa substância é usada para produzir policloreto de vinila (P.V.C) plástico e foi considerada recentemente carcinogênica. A reação na formação do C2H3Cl pode ser representada pela equação:

C2H2 + HCl C2H3Cl

Quando se obtêm 2 mols de cloreto de vinila, o volume de gás acetileno consumido, nas CNTP, é igual a:

a) 11,2 L

b) 22,4 L

c) 33,6 L

d) 44,8 L

e) 89,2 L

5 – (PUC-RJ) A camada de ozônio (O3) que envolve a Terra nos protege da radiação ultravioleta emitida pelo sol. Dentre os gases listados abaixo, assinale aquele que mais contribui para a destruição da camada de ozônio.

a) CO2

b) N2

c) O2

d) NO

e) Ar

6 – (UFCE) A presença de materiais indesejáveis no ar altera a composição da atmosfera terrestre, tornando-a praticamente irrespirável. Em São Paulo, foi realizado um rigoroso programa de racionamento do tráfego de veículos automotores, com o objetivo de diminuir os índices de poluição. Com relação a esse problema, escolha a alternativa correta:

a) o ar ideal para se respirar deve ser constituído somente de Oxigênio;

b) o ar ideal para se respirar deve ser constituído mais de Oxigênio do que de Nitrogênio;

c) o ar não poluído e adequado ao ser humano deve ser constituído de Nitrogênio, Oxigênio e Hidrogênio em partes iguais;

d) a atmosfera terrestre não poluída é constituída mais de Nitrogênio do que de Oxigênio;

e) a atmosfera ideal é uma mistura heterogênea formada de vapor d’água e Oxigênio.


7 – (PUC-RS) Um dos efeitos da chamada “chuva ácida” causada pelo SO2(g) lançado na atmosfera é a transformação do mármore, CaCO3(s), em gesso, CaSO4(s), que pode ser representado pelas seguintes equações:

2SO2(g) + O2(g) 2SO3(g)

SO3(g) + H2O ( l ) H2SO4(aq)

H2SO4(aq) + CaCO3(s) CaSO4(s) + H2O ( l ) + CO2(g)

A quantidade de gesso que pode ser formada, no máximo, pela reação de 44,8 litros de SO2 (g) lançado na atmosfera, nas CNTP, é

a) 34g

b) 68g

c) 136g

d) 272g

e) 340g

8 – (UFRN) Na figura abaixo, tem-se um gráfico de p.V (p=pressão; V=volume), no eixo das ordenadas, versus T, no eixo das abcissas, para 0,01 mol de um gás ideal.

 

 A inclinação dessa reta permite o cálculo da

a) densidade absoluta do gás.

b) constante universal dos gases.

c) pressão atmosférica

d) massa molar do gás.

9 – (UFRRJ) Tem-se 6L de um gás à pressão de 2,4 atmosferas. A pressão da mesma quantidade deste gás, quando seu volume for reduzido a 1/3, numa transformação isotérmica, será igual a

a) 7,2 atm.

b) 7,0 atm.

c) 2,7 atm.

d) 6,8 atm.

e) 8,6 atm.

10 – (UFRRJ) Um balão de oxigênio contendo 3,01×1026 átomos foi completamente utilizado por uma equipe médica durante uma cirurgia. Admitindo-se que havia apenas gás oxigênio neste balão, a massa utilizada do referido gás foi equivalente a

a) 8,0 kg.

b) 4,0 kg.

c) 12,0 kg.

d) 16,0 kg.

e) 10,0 kg.

Gabarito:
1-a 2-c 3-d 4-d 5-d 6-e 7-d 8-b 9-a 10-a

O fechamento dos portões: Na prática, segundo o horário local, os relógios estarão marcando 13h nos Estados das regiões Sul e Sudeste, Goiás e Distrito Federal; 12h nos Estados do Nordeste, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Pará e Amapá; 11h em Roraima, Rondônia e parte de Amazonas; e 10h no Acre e em outra parte de Amazonas. Veja no mapa abaixo:
fechamento-portao-enem-1444859373243_600x580
Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/educacao/2015/10/20/enem-2015-saiba-os-horarios-de-fechamento-dos-portoes-em-cada-estado.htm – (acessado 20/10/2015)

Uma cigarra feliz
Passou o verão se divertindo,
E no primeiro dia de inverno,
Viu que estava faminta,
De carne e pão
Nenhum pedaço tinha!
Então como pedinte foi
À sua vizinha formiga
Para pedir emprestado
Um pouco de trigo para comer
Até a estação acabar.
“Eu lhe pagarei”, disse ela
“Com palavra de animal
Duas vezes a mais
Antes da colheita acabar.”
A formiga gosta de ajudar
(E possa a auxiliar)
Dando um pouco para emprestar
“Como passou o verão?”
Perguntou sem hesitação
À pedinte de pão
“De dia e noite cheguei
Cantando o verão passei.”
“Você cantava?
Agora terás que dançar.”

Fonte: https://pt.wikisource.org/wiki/A_Cigarra_e_a_Formiga (acessado 05/10/2015)

Conheci uma baratinha que abominava a luz tanto quanto adorava escuridão.

Como todas as baratas, obrigada a viver entoupeirada, no fundo do baú, só arriscava-se ao ar exterior à noite, quando a vela se extinguia.

Roía os bolsos dos meninos, que cheiravam a queijo e a bolo; roía um cristo de massa, cujas mãos decepadas ficavam como duas estrelas brancas nos braços da cruz; roía o sapatinho da Maricota, se untavam de óleo o couro de lustro; e (atrevida!), roeu o dedinho grande da pequena! — por modos que ao amanhecer, o pezinho mimoso, com uma pintinha em carne viva, doía, doía, e eu sentia aquilo no meu coração como se eu fosse a Senhora das Dores traspassada pelas sete farpas. Roer aquele pezinho que eu desejara cobrir de beijos, uma barata! o inseto mais re­pugnante que o sol cobre!

Outra vez, o nojento ortóptero pôs-se a fazer tanta bulha atrás da mala, que a menina acordou.

No dia seguinte, muito caladinha, Maricota arrastou o móvel até ao quintal, puxou uma cadeira, e, chamando as galinhas, ia desarrumando a roupa, à procura da baratinha audaciosa.

Era com grande júbilo que eu via as baratas desaparecerem no bico voraz daquelas boas aves! Estava vingado. Mas a baratinha teria sido en­golida?

Uma noite, eu lia o Werther, e vejo uma traça sair do lombo do livro. Quis esmagá-la com o dedo. A traça respondeu que não havia roído o pezinho de ninguém…

— Ah, você sabe disso? — fiz eu empalidecendo.

— E até conheço a barata — respondeu a traça, pondo-se em pé. — Agora está descascando. Se me garante a vida entre seus livros, dou-lhe conta dela.

— Você tem a minha biblioteca inteira! — disse eu todo generosidade.

Entretanto, foram inúteis, não só os planos da traça, como os meus.

A menina por si mesma foi quem venceu a guerra. Executou a baratinha do modo mais pomposo deste mundo. Pilhou-a, numa noite em que o inseto voejava adivinhando chuva e pousava-lhe na face as asas catingosas. A vela! a vela foi quem matou a barata, foi quem a denunciou aos grandes olhos negros da santinha. Olhe como a luz persegue aos criminosos!

Maricota, fazendo segurar o inseto pelo maninho, muito calma e ri­sonha, corada como o pejo, tomou um coto de vela, chegou-o ao lume, e pingando cera quente na entreasa do bicho, que estremeceu todo, pre­gou-Ihe em cima o coto aceso.

Foi o espetáculo mais deliciosamente bárbaro que já presenciei!

A baratinha deitou a esfuziar com o farol aceso sobre o lombo, cor­rendo como doida, por debaixo das cadeiras, pelo meio da casa, pelos corredores, e a meninada atrás, numa grita sublime, até ao momento em que o fogo devorou-a toda, espalhando um cheiro ruim pela casa.

Ai que Nero que eu era ante aquela viva tocha ardente!

Sim, queridas meninas, incendiai pandegamente, a coto de vela, todas essas nojentas baratinhas que, enquanto vós dormis o belo sonho da puberdade, tentam roer o esperançoso pezinho com que ides trilhar mais tarde o duro caminho da vida!

fonte: https://pt.wikisource.org/wiki/A_barata_e_a_vela (acessado 05/10/2015)

Para conseguirmos atingir o objetivo de formarmos leitores autônomos e produtores de textos que saibam comunicar-se com sucesso, é necessário que lhes sejam dadas oportunidades de conhecer os produtos da comunicação escrita.

Segundo Paulo Freire a leitura do mundo precede sempre a leitura da palavra. Linguagem e realidade se prendem dinamicamente.

O ato de ler se veio dando na sua experiência existencial. Primeiro, a leitura do mundo, do pequeno mundo em que se movia; depois, a leitura da palavra que nem sempre, ao longo da sua escolarização, foi a leitura da palavra mundo. Na verdade, aquele mundo especial se dava a ele como o mundo de sua atividade perspectiva, por isso, mesmo como o mundo de suas primeiras leituras. Os textos, as palavras, as letras daquele contexto em cuja percepção experimentava e, quando mais o fazia, mais aumentava a capacidade de perceber se encarnavam numa série de coisas, de objetos, de sinais, cuja compreensão ia aprendendo no seu trato com eles, na sua relação com seus irmãos mais velhos e com seus pais.A leitura do seu mundo foi sempre fundamental para a compreensão da importância do ato de ler, de escrever ou de reescrevê-lo, e transformá-lo através de uma prática consciente. Esse movimento dinâmico é um dos aspectos centrais do processo de alfabetização que deveriam vir do universo vocabular dos grupos populares, expressando a sua real linguagem, carregadas da significação de sua experiência existencial e não da experiência do educador. A alfabetização é a criação ou a montagem da expressão escrita da expressão oral. Assim as palavras do povo, vinham através da leitura do mundo. Depois voltavam a eles, inseridas no que se chamou de codificações, que são representações da realidade. No fundo esse conjunto de representações de situações concretas possibilitava aos grupos populares uma leitura da leitura anterior do mundo, antes da leitura da palavra. O ato de ler implica na percepção crítica, interpretação e re-escrita do lido.

A Importância Do Ato De Ler: 22 Ed. São Paulo: Cortez, 1988.
(FREIRE, Paulo.).

1 – (PUC-MG) Na química ambiental, que procura, entre outras coisas, avaliar formas de atenuar a emissão de substâncias gasosas que depreciam a qualidade do ar, a reação entre os gases dióxido de nitrogênio e o ozônio, produzindo o pentóxido de nitrogênio e o oxigênio, é causadora da destruição da camada de ozônio. A equação representativa dessa reação é:

2 NO2( g ) + O3( g )N2O5( g ) + O2( g )

Quando se triplicam, simultaneamente, as concentrações de NO2( g ) e O3( g ) efetuando a reação em sistema fechado, a velocidade dessa reação ficará multiplicada por:

a) 6

b) 9

c) 18

d) 24

e) 27

2 -(PUC-MG) Duas substâncias gasosas X e Y reagem em um recipiente fechado, de acordo com a seguinte Lei de velocidade:

Velocidade = K [ X ]2 [ Y ]

Com relação a essa reação, são feitas as seguintes afirmações:

I. Mantidos constantes o volume, a temperatura e a concentração de X, e duplicando a concentração de Y, a velocidade aumenta duas vezes.

II. Mantido constante o volume, um aumento de temperatura provoca um aumento na velocidade da reação.

III. Mantida constante a temperatura, a velocidade da reação diminuirá se o volume inicial do recipiente for reduzido à metade.

É CORRETO afirmar que:

a) I, II e III são corretas.

b) apenas I e II são corretas.

c) apenas I e III são corretas.

d) apenas II e III são corretas.

e) apenas II é correta.

3 – (PUC-RJ) A amônia é um produto básico para a produção de fertilizantes. Ela é produzida cataliticamente, em altas pressões (processo Haber), conforme a equação:

N2 + 3H22NH3 .

Se a velocidade de produção de amônia foi medida como:

velocidade = 2,0 x 104 mol.L1.s1

a velocidade da reação em termos de consumo de N2 será:

a) 1,0 x 104 mol.L1.s1.

b) 2,0 x 104 mol.L1.s1.

c) 3,0 x 104 mol.L1.s1.

d) 4,0 x 104 mol.L1.s1.

e) 5,0 x 104 mol.L1.s1.

4 – (UFMG) A água oxigenada, , decompõe-se para formar água e oxigênio, de acordo com a equação:

H2O2 (l) H2O (l) + ½ O2 (g)

A velocidade dessa reação pode ser determinada recolhendo-se o gás em um sistema fechado, de volume constante, e medindo-se a pressão do oxigênio formado em função do tempo de reação.

Em uma determinada experiência, realizada a 25 oC, foram encontrados os resultados mostrados no gráfico.


Considerando-se o gráfico, pode-se afirmar que a velocidade de decomposição da água oxigenada

a) é constante durante todo o processo de decomposição.

b) aumenta durante o processo de decomposição.

c) tende para zero no final do processo de decomposição.

d) é igual a zero no início do processo de decomposição.

5 – (UFPB) Dois recipientes fechados armazenam, respectivamente, quantidades iguais de hidrogênio e cloro nas CNTP. É FALSO afirmar, em relação aos gases H2 e Cl2 , que

a) a energia cinética média das moléculas dos gases é a mesma.

b) a velocidade média das moléculas dos gases é igual.

c) o aumento da temperatura absoluta dos gases é diretamente proporcional ao aumento da energia cinética média de suas moléculas.

d) as moléculas dos gases apresentam um movimento contínuo e desordenado.

e) as colisões das moléculas dos gases com as paredes internas dos recipientes que as contêm dão origem à pressão.

6 – (PUC-RS) A velocidade da reação representada pela equação Zn + 2 HCl ZnCl2 + H2 pode ser calculada determinando-se ___________________________ em função do tempo.

a) o aumento da concentração de cloreto de zinco

b) o aumento da concentração de zinco

c) o aumento da concentração de ácido clorídrico

d) a diminuição da concentração de cloreto de zinco

e) a diminuição da concentração de hidrogênio gasoso

7 – (PUC-RS) Responder à questão com base nas seguintes informações:

Na coluna da esquerda, estão relacionadas transformações e, na coluna da direita, os principais fatores que alteram a velocidade dessas transformações.

1. A transformação do leite em iogurte é rápida quando aquecida. ( ) superfície de contato
2. Um  comprimido e- fervescente reage mais rapidamente quando dissolvido em água do que acondicionado em lugares úmidos. ( ) temperatura
3. Grânulos de Mg reagem com HCl mais rapidamente do que em lâminas. ( ) catalisador
4. A transformação do açúcar, contido na uva, em etanol ocorre mais rapida-mente na presença de microorganismo. ( ) concentração dos reagentes

Relacionando-se as duas colunas obtêm-se, de cima para baixo, os números na seqüência

a) 2, 1, 4, 3

b) 2, 3, 4, 1

c) 3, 1, 4, 2

d) 3, 1, 2, 4

e) 4, 3, 1, 2

8 – (PUC-RJ) As velocidades iniciais da decomposição do aldeído acético (CH3CHO) foram medidas para as concentrações iniciais de 0,10 mol/l e 0,20 mol/l e apresentaram os valores de 0,02 mol/l.s e 0,08 mol/l.s, respectivamente. A ordem da reação em relação ao aldeído acético é:

a) ½.

b) 1.

c) 2.

d) 3/2.

e) 3.

9 – (UFPE) A dissolução de um comprimido efervescente foi realizada de dois modos:

1) em água natural, com o comprimido quebrado em pequenos pedaços;

2) em água gelada, com o comprimido inteiro.

A dissolução será:

a) mais lenta em 1, porque, com a temperatura mais alta, a reação é mais lenta.

b) mais lenta em 2, porque a área de contato do comprimido com a água é maior.

c) mais rápida em 1, porque a temperatura é mais alta, e a área de contato é maior.

d) igualmente rápida nas duas, pois a temperatura da água não afeta a velocidade da reação.

e) mais rápida em 2, porque o comprimido inteiro possui maior área de contato com a água.

10 – (UFRN) Comparando-se dois comprimidos efervescentes de vitamina C, verificou-se que:

Massa do Comprimido (g)

Massa de Vitamina C no Comprimido(g)

Massa de Sal Efervescente no Comprimido(g)

Tempo de Efervescência (min)

4

1

0,7

1

4

2

0,5

x

Sabendo-se que a reação de efervescência é de primeira ordem, o valor de x para completar corretamente a tabela é:

a) 7 min

b) 0,7 min

c) 14 min

d) 1,4 min

Gabarito:
1-e 2-b 3-a 4-c 5-b 6-a 7-c 8-c 9-c 10-c

A programação do Outubro Rosa na Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (MEAC), do Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh, está bem diversificada. De palestras a atendimento especializado em Mastologia, as atividades terão abertura oficial no dia 9 de outubro, às 8h30min, no auditório do Hemoce (Rua Capitão Francisco Pedro, esquina com Rua Delmiro de Farias – Rodolfo Teófilo).

Entre os destaques da programação estão uma exposição de fotos e depoimentos de pacientes com câncer de mama, um painel com espaço tira-dúvidas sobre câncer de mama, além de dicas, passeios e várias palestras sobre o tema. A programação completa está disponível no site da MEAC.

O câncer de mama é o que mais acomete mulheres no Brasil, respondendo por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que em 2015 serão identificados 57.120 novos casos no País. Este câncer origina-se de uma multiplicação rápida e descontrolada das células mamárias. Quando o tumor se localiza em uma camada superficial da célula da mama não há risco de disseminação da doença e a chance de cura pode chegar a 100%. Já nos tumores chamados “invasivos” as células malignas ultrapassam essa camada superficial da célula mamária. Mesmo assim, ainda podem ser curados, principalmente quando o diagnóstico é feito precocemente.

A informação e a consciência da mama, ou seja, o conhecimento que a mulher tem da forma e das características de suas mamas, são grandes aliados para perceber quando há algo diferente. Mas a melhor forma de diagnóstico é o exame clínico realizado pelo profissional de saúde.

“Somam-se a ele os exames de imagem para aumentar a precisão e definir o melhor tratamento”, explica Josmara Furtado, chefe do Serviço de Mastologia da MEAC. No ambulatório de Mastologia, os médicos e enfermeiros da MEAC realizam, em média, 530 atendimentos ao mês. Somente de janeiro a agosto de 2015 foram feitos 4.232 atendimentos clínicos.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Complexo Hospitalar da UFC  – fone: 85 3366 8183

Link: http://ufc.br/noticias/noticias-de-2015/7260-maternidade-escola-tera-programacao-especial-alusiva-ao-outubro-rosa (acessado 05/10/2015)